| João Costa Lima mostra “Ilusionistas” |

— por Eugênia Bezerra, Jornal do Commercio. Agosto, 2o12. —

cadernoC

O artista João Costa Lima, que começou a carreira de ator no Recife e há alguns anos vive na Europa, voltou à cidade em 2010 com o solo O outro do outro. A performance fazia refletir sobre a construção e representação da identidade. Dois anos depois, João retorna a Pernambuco na companhia do português Vítor Roriz para apresentar um espetáculo e promover um workshop. Ilusionistas estreia hoje, às 20h, e fica em cartaz até o dia 19 de agosto no Teatro Hermilo Borba Filho (onde também acontece a oficina).
“Em O outro do outro, criado quando ganhei a bolsa do Itaú Cultural, eu lidava com questões de alteridade, identidade, etc. Depois dele, minha intenção era trabalhar com outras pessoas, neste caso (de Ilusionistas), com um parceiro com quem eu já tinha uma sintonia grande, e ir além destas questões. Dosar algumas ideias sobre alteridade, etc., só que o trabalho não fica por aí. Vai além destas questões nomeáveis, por assim dizer”, afirma João.
“Este trabalho decola um pouco mais. A gente trabalhou tentando pensar como se estivesse no mesmo plano, sem qualquer estatuto privilegiado. Estas duas figuras em cena podem ser objetos, animais, pessoas. É um pouco por aí”, continua o artista, que há quatro anos vive em Barcelona.
João e Vítor se conheceram quando o brasileiro morava em Portugal. “A gente vem trabalhando junto em alguns momentos. Estou mesmo muito feliz em poder apresentar este trabalho no Recife e porque o público pernambucano vai poder ver Vítor em cena, ele é um artesão incrível”, completa João.



AMOR, PLÁSTICO E BARULHO, 2013.
SANDCASTLE, 2007.
CONTRATEMPO, 2004.
PEOPLE LIKE US, 2005.