OBRAS NA FACHADA, 2004.

“Nas janelas, nas varandas, nas paredes ou no telhado. Do interior para o exterior ou ao contrário. Obras na Fachada: todos os dias, todo o dia, a todas as horas. Nesta peça vamos trabalhar na linha da fachada, num espaço o mais pequeno e o mais difícil de definir possível. Tomamos como ponto de partida uma tensão entre a vontade irresistível de fugir daqui e uma necessidade absoluta de ficar, a dicotomia e as contradições entre espaço público e espaço privado, utilizando a fachada como interface, linha de fronteira entre o território Casa e o território Rua. Ao longo de 18 dias consecutivos e ininterruptos desenvolver-se-ão Obras na Fachada: uma forma de sentir a Rua, de intervir na Rua e de reagir à Rua, sempre a partir da Casa. A peça é constituída por diferentes intervenções na fachada feitas por atores e músicos ao longo das 24 horas do dia. O trabalho vai-se modificando ao longo do tempo.”

— Lúcia Sigalho.

 

[ FICHA TÉCNICA ]

elemento 6-02

Sensurround — Companhia de Teatro

Com  Joana Furtado, Marta Furtado, Afonso de Melo, André Amálio, Felix Lozano, Victor Gonçalves, João Lima, Gustavo Sumpta e Lavínia Moreira.
Luzes — Daniel Worm D´Assumpção . Assistência de Encenação: Annick Feit



Os comentários estão desativados.

DIA ZERO, 2012.
URRA! 2015
AZUL COMO UMA LARANJA, 2009.
NATUREZA MONSTRUOSA, 2011.
pay for paperscustom writingedit my paperedit my paperedit my paperedit my paper